sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

OS PRIMEIROS DIAS DE AULA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O início de mais um ano letivo sempre traz expectativas para professores e alunos.Na Educação Infantil é um momento marcante, principalmente para crianças que nunca antes estiveram na escola. Para os pequenos, em sua maioria, é a primeira vez que terão contato com esse espaço novo, que é a escola.Deixar de conviver somente com seus familiares, com amiguinhos do dia-a-dia, para mergulhar em um mundo novo, cheio de novidades, com um monte de rostos diferentes. Quem disse que o primeiro dia de aula é difícil apenas para os pequenos? Muitos pais, principalmente as mães, sofrem neste momento. A separação, seja ela por algumas horas, é algo que precisa ser trabalhado “psicologicamente” falando. Para algumas crianças, o momento de ir para a escola pela primeira vez pode ter sentido de abandono e se tornar um momento traumático. Segundo especialistas, a presença do pai ou da mãe dentro do ambiente escolar é importante nos primeiro dias, ainda que seja por alguns minutos. Algumas escolas fazem um trabalho de preparação com os alunos. São cinco dias com brincadeiras lúdicas para estabelecerem vínculos entre aluno/professor e com período reduzido, para então darem início ao ensino pedagógico. Este é um momento de desafio para os pais, professores e criança. É um mundo novo para a criança, um momento único. São professores, amigos novos, ambientes diferentes e tudo isso pode gerar certa ansiedade, algo que não é nada positivo. Para amenizar essa ansiedade é importante que os pais façam uma preparação para esse dia tão atípico na vida da criança, como por exemplo, a compra do material escolar. Levar a criança para escolher a mochila, os cadernos a lancheira e os lápis, entre tantos outros objetos, pode ajudar a criança a se entusiasmar e criar bons anseios para o inicio das aulas. Conversar sobre o que ela vai encontrar na escola, também contribui bastante. Converse com seu filho(a), e pergunte a ele como foram seus primeiro dias de escola, as amizades que conquistou ou que aprendeu. Mas se depois de tudo isso, na porta da escola ele bater o pé, abrir um berreiro, e se negar a entrar, seja irredutível! Por mais difícil que seja, por mais apertado que fique o coração, porque se você abrir mão no primeiro dia, não será diferente nos outros. Os pequenos precisam aprender desde cedo, que ir a escola é fundamental. Este é um processo natural de amadurecimento e crescimento da criança e é importante que ela seja preparada para ir para escola com segurança, calma e sem agitação ou ansiedade embora esteja vivendo um momento novo em sua vida. Por isso, é importante nesse primeiro momento, passar pelo processo de acolhimento. O nome já diz: ser acolhido, recebido, aconchegado.Assim, nós profissionais da educação, precisamos ter a sensibilidade e o bom senso de perceber que para os pequenos tudo é novo e, geralmente, o que é novo às vezes assusta. Precisamos nos munir de compromisso, disposição e doação para recebê-los.Um espaço de sala de aula, com brinquedos, jogos, musiquinhas, bem descontraído para que sintam-se à vontade. Poderão trazer de casa, nesses primeiros dias, algum objeto que esteja vinculado, ao seu dia-a-dia. Creio, que assim a adaptação será mais prazerosa.Com certeza, mesmo com alguma relutância, em pouco tempo estarão totalmente adaptados a esse maravilhoso mundo novo: a Escola! Para os pequenos, em sua maioria, é a primeira vez que terão contato com esse espaço novo, que é a escola.Deixar de conviver somente com seus familiares, com amiguinhos do dia-a-dia, para mergulhar em um mundo novo, cheio de novidades, com um monte de rostos diferentes. ROTINA ESCOLAR A rotina escolar é sem dúvida um meio muito eficaz para a socialização da criança, pois ela proporciona sentimentos de estabilidade e segurança na criança.Estabelece maior facilidade de espaço-temporal e liberta a criança dos sentimentos de estresses. A rotina escolar é uma seqüência de atividades que visam a organização do tempo que o aluno permanece na escola. Apóia-se na reprodução diária de momentos e nos indícios e sinais que remetem às situações do cotidiano. De uma canção na entrada à hora do lanche, os alunos já ficam cientes das atividades que se seguirão: “Depois do lanche tem brinquedo no parque”, “Depois da roda a gente desenha, pinta, faz trabalho com massinha”. A espinha dorsal da rotina são alguns marcos temporais que quase nunca se alteram: a chegada, a roda, o lanche, o pátio, a saída, e é importante manter constantes os parâmetros principais da rotina, para que as crianças se sintam seguras e não se desorganizem. Os alunos vão chegando e logo ficam curiosos para definir e conhecer o que ocorrerá no dia, por isso a importância da rotina e da sala de aula possuir um quadro de rotinas. Com um quadro de rotinas é fácil determinar as ordens das tarefas junto com os alunos, principalmente na Educação Infantil e nas séries iniciais do Ensino fundamental. Então é fundamental que cada o professor confeccione o seu, pois sempre começa o dia mostrando para a turma as atividades que fazem parte daquele dia. Isso ajuda a controlar a ansiedade da garotada. O ideal é que ele fique em lugar bem visível.
TEMPO E CHAMADA Na Educação Infantil o primeiro passo da rotina é a caracterização do dia em termos de calendário (Que dia é hoje? Em que mês estamos? Que dia foi ontem? E que dia será amanhã? Se tiver alguma data especial o professor deve conversar sobre ela com seus alunos: data cívica ou aniversário de algum aluno - mesmo que tenha ocorrido num feriado ou fim de semana), tempo (a estação do ano é relembrada e verifica-se se algumas características estão presentes no dia. As condições climáticas são, então, registradas através de cartaz do tempo).
Finalizada essa etapa, é iniciada a chamada interativa: o professor sugere ao grupo que observe e verifique quem está presente e quem faltou. Após nomearem os faltantes, então começa a chamada propriamente dita, que pode ser realizada de diversas formas: preenchendo o quadro “Quantos somos?”, ou num quadro que possua as fichas de todos os alunos (retira-se as fichas dos que estão faltando e em seguida conta-se quantos alunos estão presentes, podendo ser até um momento para trabalhar com os nomes dos alunos), bonequinhos com o nome dos alunos para colocar num quadro específico (pode-se fazer como o exemplo anterior),entre outros modelos. Qualquer que seja o modelo escolhido deve-se fazer a contagem dos presentes, separar em grupos (meninos e meninas) e sua totalização novamente. Toda essa atividade de chamada interativa vai permitir a descoberta e consolidação de valores, além de ser muito agradável para a criança pelo seu caráter lúdico e participativo, valorizando a presença de cada um e permitindo, embora dentro da rotina, muitas variações.
AJUDANTE DO DIA A escolha do ajudante do dia pode ser efetuada com várias dinâmicas: um casal por dia ou apenas um ajudantes, alternadamente menino/menina, escolhido através de sorteio, ordem alfabética. A esses ajudantes, nesse dia, caberá colaborar em todas em todas as tarefas, tais como: distribuir materiais, bilhetes, organizar a sala, etc.
ATIVIDADES DO DIA As atividades apresentadas para o dia devem constar no quadro de rotina: atividade individual, em grupo, vídeo, informática, explicação e correção do dever de casa, jogos, etc. O tempo gasto em cada atividade é um elemento importante, por isso teve ser pensado desde o planejamento, para não colocar excesso de atividades.
A IMPORTÂNCIA DA RODA A roda é um dos momentos de grande interação. Implica a expectativa de algum fato relevante, pois algo de importante vai acontecer quando todos sentam numa roda. Para o professor, é uma oportunidade de observar os alunos e as relações entre eles: duplas ou trios que se sentam perto, conversam, trocam objetos, riem. Nos primeiros dias de aula, a proximidade da roda permite que os alunos se conheçam melhor, observando semelhanças e diferenças por meio de um jogo de identificação iniciado pelo professor: “Tem criança com camisa azul”, “Tem criança com bota”. Mesmo não sabendo ainda o nome dos colegas, as crianças se voltam para os indicadores, acompanhando a nomeação de cada um: “Davi vai mostrar sua mochila nova”, “Quem está de blusa verde vai pegar a caixa de botões”. Todo o grupo se envolve na adivinhação e às vezes descobre quem é o aluno. A “roda de novidade” deve fazer parte da rotina desde os primeiros dias de aula. No início, o professor traz os objetos para serem explorados, e os alunos são praticamente espectadores. Mas a roda evolui quando as crianças começam a trazer as novidades de casa – uma fruta, um brinquedo, uma revista, toquinhos de madeira, algumas fotos e até uma caixa cheia de tampinhas de refrigerante. O que for significativo para a criança pode ir para a roda, desde que o dono queira. Uma das possibilidades é criar a “caixa de novidades”. Na chegada, o aluno guarda o objeto, que depois de exibido na roda volta para a caixa ou vaio para a mochila, conforme a criança desejar. A novidade pode desencadear várias atividades, como jogos, brincadeiras e histórias, e faz a ponte entre a casa e a escola, permitindo identificações, além de incentivar o início das relações de interação e troca entre os alunos. A roda pode ser o primeiro momento de centralização das atividades do dia. Nela se tem um espaço privilegiado no qual se pode desencadear a exploração de temas e o amadurecimento das idéias. Mas para isso é de grande importância a participação dos alunos por meio de comentários e discussões. Na Educação Infantil a roda faz parte da rotina diária, podendo ocorrer mais de uma vez ao dia se necessário.
* Sugestões pesquisadas na net!!!

3 comentários:

  1. Prezada Professora,

    Faço a divulgação destes nossos livros sobre Pedagogia na expectativa de que algum lhe possa interessar. Agradecia que fizesse a divulgação pelos seus contactos. MUITO OBRIGADO.

    O verdadeiro educador aprende ao ensinar e ensina enquanto aprende (Paulo Freire).

    - 50 Técnicas de Avaliação Formativa, José Lopes & Helena Silva, Lidel, Edições Técnicas, Lda, 2012
    http://www.fca.pt/lidel_index2.html
    - O Professor faz a Diferença. Na aprendizagem dos alunos. Na realização escolar dos alunos. No sucesso dos alunos. José Lopes & Helena Silva, Lidel, Edições Técnicas, Lda, 2010
    http://www.fca.pt/lidel_index2.html
    - A aprendizagem cooperativa na sala de aula. Um guia prático para o professor. José Lopes & Helena Silva, Lidel, Edições Técnicas, Lda, 2009
    http://www.fca.pt/lidel_index2.html

    - Métodos de aprendizagem cooperativa para o jardim-de-infância (Educação Infantil). Um guia prático com actividades para os Educadores de Infância e para os Pais. José Lopes & Helena Silva, Areal Editores, 2008.
    http://www.wook.pt/ficha/metodos-de-aprendizagem-cooperativa-para-o-jardim-de-infancia/a/id/1430210
    Podem ser adquiridos na Livraria Saraiva - http://www.livrariasaraiva.com.br; zambonibooks@terra.com.br; Livraria Cultura: http://www.livrariacultura.com.br
    Com os melhores cumprimentos,
    José Lopes jlopes@utad.pt
    Professor associado de psicologia da educação e da aprendizagem
    Departamento de Educação e Psicologia
    Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
    Vila Real
    PORTUGAL

    Helena Silva helsilva@utad.pt
    Professora associada de metodologia de ensino das ciências
    Departamento de Educação e Psicologia
    Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
    Vila Real
    PORTUGAL

    ResponderExcluir